Ações Artísticas

Dado o contexto da pandemia, as apresentações artísticas acontecerão de modo presencial e remoto. Todas as ações artísticas -- performances, transmissões radiofônicas, mostra e apresentações -- acontecerão em diferentes locais da América Latina e Europa. Elas serão divulgada em breve neste site e nas redes sociais.

Fique na escuta e siga-nos!

        

Mesas Redondas

Mais informações, em breve. 

Fique na escuta e siga-nos!

            

Palestras

Em breve programação completa.

Fique na escuta e siga-nos!

        

Oficinas

Programação e inscrições em breve.

Fique na escuta e siga-nos!

        

Residência

O 2º Encontro Latino-Americano de Arte Sonora SomaRumor lança o Programa de Residência Artística voltado à formação de estudantes e jovens artistas sonoros. A residência acontece de Julho a Outubro de 2021 com vinte e um tutores entre curadores, artistas e acadêmicos do campo da arte sonora mundial. Ao todo mais de cinquenta artistas residentes da América Latina e Europa desenvolverão novos projetos que serão apresentados em Outubro durante o SomaRumor II.   

 

 

Tutores

 

 

Alma Laprida

Alma Laprida (1985) é compositora, artista sonora, docente e gestora cultural. Estudou piano, Gestão da Arte e da Cultura (UNTREF) e Artes eletrónicas (UNTREF). Se apresentou nos museus e centros culturais mais relevantes de Buenos Aires. Realizou instalações sonoras no Teatro Verdi de La Boca, na galeria Valenzuela Kremmer (Bogotá, Colombia) e na CasaPlan para o Festival Tsonami (Valparaíso, Chile). Foi artista convidada no Festival Internacional de Música Experimental de São Paulo, Brasil (FIME, 2015) e realizou uma residência no GIS Studio de Audition Records (Cidade do México, 2016). Lançou um álbum pela Audition Records e faixas nos selos Adaptador Records, Ratordog, Sisters Triangla, Isla Visión, Carbono Proyecto Records e Sub Rosa. Criou o ciclo de concertos Ciclo Hertz e um projeto de colaboração entre artistas visuais e sonoros chamado Estrépito y Contemplación. Como curadora, trabalhou no Centro de Arte Sonoro e de forma independente.

 

Fernando Iazzetta

Fernando Iazzetta é Professor Titular na área de Música e Tecnologia na Universidade de São Paulo, onde dirige o NuSom - Núcleo de Pesquisas em Sonologia. Atua como compositor e performer com trabalhos que exploram o experimentalismo, a interatividade e recursos eletroacústicos. Seus interesses de pesquisa estão voltados para a investigação de formas experimentais de música e arte sonora. É pesquisador do CNPq desde 2003 e autor de vários textos, entre eles os livros "Música: Processo e Dinâmica" (1993) e "Música e Mediação Tecnológica" (2009) e co-editor do livro "Make it Heard: a history of Brazilian Sound Art" (2019).

 

Flora Holderbaum

Flora Holderbaum é Bacharel em Violino e em Artes Visuais pela UDESC; Mestre em Música pela UFPR e Doutora em Sonologia pela USP, onde integrou o grupo de pesquisa NuSom. Foi professora colaboradora do Curso de Artes da UFF e Atualmente é Professora Colaboradora em Tecnologia Musical no Departamento de Música da UDESC (Brasil). Atua com processos criativos em torno da poética vocal e instrumental e seus cruzamentos com a música experimental e eletroacústica.

 

Florencia Curci

Florencia Curci trabalha em Buenos Aires organizando programas culturais e exposições, é artista de rádio e sonora. É técnica universitária em políticas e administração da cultura, completou o curso de pós-graduação em Música Expandida da Universidade Nacional de San Martín e o programa de artistas da Universidade Torcuato di Tella. Em 2017 fundou o CASo - Centro de Arte Sonora do Ministério de Cultura da Nação. Seu trabalho tem sido comissionado pelo Centro Cultural Kircochner, o Cultural San Martín (Argentina), Meddialab Prado (Espanha), Tsonami (Chile), Aural Festival (México), Kunst Radio (Áustria) e Mayhem (Dinamarca), entre outros. Atualmente, é acessora da Secretaria de Patrimônio Cultural, tendo a seu cargo os programas e exibições de arte contemporânea. Co-habita Investigações do Futuro (IF), desde 2020.

 

Manata Laudares

Manata Laudares é um duo de artistas, residente no Rio de Janeiro, composto por Franz Manata, 1964 (artista, pesquisador e professor) e Saulo Laudares, 1976 (artista, professor e DJ). O duo iniciou as atividades em 1998, instigado pela observação acerca do universo do comportamento e da cultura da música contemporânea, notadamente a Eletrônica. Ao longo dos anos, o duo vem investigando o papel social do artista e sua relação com a tradição na era da economia da informação. Seus trabalhos e programas em processo assumem diversos formatos, como espaços de imersão, instalações, residências e cursos, que se desdobram em produtos: fotografias, vídeos, objetos sonoros, etc. Manata Laudares vêm realizando residências e participando de mostras, individuais e coletivas, dentro e fora do Brasil. Algumas individuais: After Nature, na Sé galeria, SP (2018), curadoria Lisette Lagnado; Manata Laudares no Solar dos Abacaxis, RJ, 2017, curadoria de Ulisses Carrilho e Bernardo Mosqueira; e, Franz Manata / Saulo Laudares, curadoria Fernando Cocchiarale, Casa de Cultura Laura Alvim, RJ, 2011. Foram contemplados com o Prêmio Interferências Urbanas e indicados ao Prêmio Pipa e estão em importantes coleções e acervos, como: MAM RJ e MuBE SP. Desde 2009 o duo coordena o programa Arte Sonora na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. São representados pela Sé Galeria - São Paulo, BR.

 

Giuliano Obici

Giuliano Obici (Maringá 1977) artista-pesquisador sonoro com formação em artes, comunicação e psicologia. Professor adjunto do Departamento Artes da Universidade Federal Fluminense. Tem apresentado e desenvolvido projetos em festivais, galerias, museus, residências artísticas e universidades pelo mundo, entre eles o festival de Arte Sonora Tsonami (Valparaíso), Imatronic (Karlsruhe), Dystopie e Relevante Musik (Berlim), Novas Frequências (Rio de Janeiro), Monteaudio (Montevideo), 319 Scholes (Nova York), Wien Modern (Viena), London University of the Arts, Next Generation (Karlshue), Norwegian Academy of Music, Univesität der Kunst e Technische Universität em Berlim, Gotland School of Composition (Visby), Ultima Academy (Oslo) entre outros. Escreveu o livro "Condição da Escuta: mídias e territórios sonoros"e artigos diversos. Recebeu prêmios como Giga-Hertz-Preis do Centro de Arte e Mídia (ZKM - Karlsruhe) e Experimental Studio (Freiburg), Redbull Station e bolsas de pesquisa do DAAD, FAPESP e CAPES. Trabalhos recentes: ScreenUtopia, Dissimulation, Concerto para Celulares, Simulacrum Piano, Intensidades Brutalistas, Para Colorir Frequências, Vozes Sintéticas, Vozes Simulacrum, Simulacrum Chamber Orquestra, Laptop Choral, Lan House Concert e Compro Auri.

 

Janete El Haouli

Janete El Haouli musicista, artista sonora/radiofônica, produtora cultural e pesquisadora com ênfase na experimentação da mídia radiofônica, da experimentação da voz, da escuta e das paisagens sonoras nos processos de criação. Foi professora na Universidade Estadual de Londrina (UEL) de 1981 a 2011. Graduada em Música (piano), fez mestrado em Ciências da Comunicação com a dissertação 'Demetrio Stratos: a escuta da voz-música' e doutorado em Artes/Radio com a tese 'RadioPaisagem', ambos pela Universidade de São Paulo (USP). Seus trabalhos exploram o rádio como mídia criativa, e já desenvolveu projetos comissionados de criação radiofônica para a WDR de Colônia (Stratosound) e para a DeutschlandRadio de Berlim/WDR, com o músico Hermeto Pascoal (Brasil Universo), entre outros. Sua pesquisa sobre a voz de Demetrio Stratos alcançou projeção internacional e foi publicada como livro na Itália, em 1999, no Brasil, em 2002, e no México, em 2006.

 

José Ignacio López Ramírez Gastón

José Ignacio López Ramírez Gastón é Doutor em Música de Computador pela Universidade da Califórina em San Diego (UCSD) onde estudou sobre a direção de Miller Puckette. É professor da Universidade Nacional de Música (ex Conservatório Nacional de Música), onde está a cargo dos cursos de música e tecnologia, coordena o Laboratório de Música Eletroacústica e Arte Sonora e é Diretor de Inovação e Transferência Tecnológica. Também é professor de Arte Sonora e Música Popular na Pontíficia Universidade Católia do Peru. Em 2019 publicou seu primeiro livro sobre a relação entre a música e a tecnologia no Peru: La Guardia Nueva. Visões Sobre a Música Eletrônica no Peru.
ORCID: https://orcid.org/0000-0003-24 44-5437 email: jlopezr@unm.edu.pe

 

Julia Mahrer

Julia Mahrer Vinas é uma artista e designer de marcas suíça-dominicana sitiada no sul de Londres. Sua prática se expande da interpretação de verdades universais, a cultura de namoro e a intimidade na esfera pública através de instalações de larga escala, arte de rua, poesia e som analógico. Ultimamente, sua pesquisa mudou para os reinos do amor decolonial, desenhando um novo projeto de pesquisa, cahamdo "Paraiso Personal", com suas ancestralidades e emoções culturais. Ela dá aula no Royal College of Art (Londres) e UNAPEC (St. Domingo). Ela é parte do coletivo audiovisual denominado Picnic Co.

 

Laura Mello

Laura Mello é uma artista sonora e compositora brasileira vivendo em Berlim. Para Mello, compor é pensar os instrumentos como mídias e as mídias como instrumentos. Em seu trabalho, ela também está interessada nos aspectos socioculturais envolvidos na percepção humana da língua falada. Ela compõe, canta, toca instrumentos tradicionais e eletrônicos, bisbilhota o mundo com olhos abertos e processa suas impressões em performances audiovisuais, instalações sonoras, intervenções, intrumentos, músicas eletroacústicas e sets de DJ. Desde 2016 ela é membro do Errant Sound. Em 2019, ganhou a bolsa de Artista Berlin Senate for Cultura and Europe e estará até setembro de 2021 como artista residente no Kulturakademie Tarabya em Istambul. Em 2018, ela lançou o CD "Está Verde!" e o LP "double-groove" de 7“ "Ringing Still Life". Após concluir a graduação em Publicidade e Composição Musical, bem como a pós-graduação em Estética Musical no Brasil, mudou-se para a Europa e formou-se em Composição Eletroacústica (com Dieter Kaufmann) no MDW Viena.. Até 2013, ela era candidata à PhD na Universidade Técnica de Berlin, sob a tutoria de Helda de la Motte-Haber e Stefan Weinzierl.

 

Lukas Kühne

Escultor, artista sonoro, curador, investigador, fundador e professor agregado da área Oficina Experimental de Arte Sonora EUM Faculdade de Artes UdelaR estabelecido desde 2005 em Montevidéu, Uruguai. Suas obras atuais têm conteúdos multidisciplinares, como é a série nórdica: Cromático em Tallin Estônia, Tvisöngur em Seydisfjördur Islândia, Organum em Hailuoto Finlândia. Além disso, sua obra foi exposta na Europa, Japão e nas Américas, obtendo vários prêmios. Desde 2005 está encarregado do formato Interdisciplinar Oficina Experimental Forma e Som Arte Sonora, o qual foi fundado por ele, e em 2013 iniciou a plataforma Festival Internacional de Arte Sonora Monteaudio, ambos estão operando na Escola Universitária de Música EUM Faculdade de Artes UdelaR, Uruguai.

 

Manuel Rocha Iturbide

Manuel Rocha Iturbide é um artista, compositor, investigador e curador. Fez licenciatura na UNAM, mestrado em Mills College e um doutorado na área de Música e Tecnologia na Universidade de París VIII. Sua música foi executada em vários continentes, recebendo encargos do Instituto IMEB de Bourges, Cuarteto Arditti, conjuntos Onyx e Liminar, etc. Realizou obras artísticas em exposições importantes como a Bienal de Sydney 1998, ARCO 1999, Funcação PRADA Veneza 2014, etc. Foi beneficiado por bolsas do Centro para as Artes Banff, da Fundação Japão, etc. Ganhou prêmios nos concursos Luigi Russolo na Itália, Bourges França e Ars Eletronica entre outros. Atualmente é professor titular na cadeira de arte digital na UAM Lerma e de composição na UNAM. Membro do SNCA do México em quatro ocasiões e atualmente SNI Nível 1. Sua página na web é artesonoro.net

 

Marco Scarassatti

Artista sonoro, improvisador e compositor, desenvolve pesquisa e construção de esculturas e instalações sonoras, além de gravações de campo; professor e pesquisador da Faculdade de Educação da UFMG e autor do livro Walter Smetak, o alquimista dos sons (editora Perspectiva / SESC, 2008).

 

Matt Lewis

Matt Lewis é um artista sonoro e designer de Londres e Margate. Suas áreas de interesse incluem a política do som, urbanismo, inclusão sônica e imersividade. Seu trabalho normalmente é focado em espaços físicos específicos, ou ao redor de problemas sociais específicos, como a regeneração, a deficiência e o planejamento urbano. Matt é co-diretor do Call & Response, um dos poucos espaços de som independente na Europa. Já se apresentou nacional e internacionalmente em vários países, incluindo Áustria, Brasil, Portugal, Sérvia e nos Estados Unidos, em festivais e locais como Whitechapel Gallery, Café Oto, The Roundhouse, Diapason NYC, Tate and MK Gallery. Matt tem um PhD em Goldsmiths, de 2012 a 2013, foi um Fellow na Central St Martins e foi residente artístico por duas vezes na Metal Culture. Matt ensina no Royal College of Art em Londres, onde ele dirige o Sound Pathway na Escola de Comunicação.

 

Mene Savasta

Mene Savasta é artista sonora, música e historiadora da arte. Investiga e produz no campo da arte sonora. Suas instalações foram exibidas em CC Recoleta, Teatro Colón de Buenos Aires, Are Eletrônica 2013 (Linz, Áustria) MACBA, Espaço Fundação Telefônica, CCEBA, entre outros. Compõe e produz música utilizando sua voz, sintetizadores e meios eletrônicos. Em 2015 editou seu disco solo Campo Cercano, material que apresentou como performance sonora e luminosa em diversos espaços de arte contemporânea e festivais, como Sónas (2016), Ciclo Escuchar (2016) e Mutek (2017) entre outros. Doutora em Artes e professora de História das Artes Visuais (FBA, HNLP). Coordena a Especialização em Arte Sonora da UNTref e é docente da Licenciatura em Artes Audiovisuais na UNA e do mestrado em Artes Sonora da UNQ. Em 2015 foi co-curadora de Umbrales, espaços do som, a primeira exibição de arte sonora argentina.

 

Nicolas Varchausky

Nicolás Varchausky (Argentina, 1973) Compositor, artista sonoro e professor-pesquisador da Universidade Nacional de Quilmes (UNQ) e da Universidade Nacional Tres de Febrero. Sua produção artística inclui obras eletroacústicas e instrumentais, performances, instalações sonoras e projetos interdisciplinares em espaços públicos. Seu trabalho investiga as possíveis relações entre som, espaço, memória e palavra falada em contextos tecnológicos. Fez música para teatro, dança e cinema, e recebeu vários prêmios, entre os quais se destacam a Menção Honrosa no Prix Ars Electronica e a Bolsa Ibermúsicas. Concluiu seu doutorado no Centro de Artes Digitais e Mídia Experimental (DXARTS) da Universidade de Washington, EUA. 

 

Rainer Krause

Rainer Krauser, (1957, Hoyerhagen-Alemanha). Desde 1987 vive e trabalha em Santiago do Chile. Artista plástico e sonoro. Desde 2007 é acadêmico da Universidade do Chile. Entre 2013 e 2019 foi coordenador do Diploma de Pós-graduação em Arte Sonora, Escola de Pós-graduação, Faculdade de Artes, Universidade do Chile. Desde 2019 é coordenador de Criação, Departamento de Artes Visuais da mesma faculdade. Mais de 30 exposições individuais na Alemanha, Chile, Espanha e Canadá e participações em numerosas exposições coletivas na Europa e na América, das quais destaca as Bienais da Mercosul (2005, 2018), de Montevidéu (2014), Veneza, Curitiba e Assunção (todas 2015), de Artes Midiáticas, Santiago do Chile (2005, 2012, 2015), as exposições Otros sonidos otras paisajes, MACRO - Museu D'Arte Contemporânea de Roma, Itália (2017) e SomaRumor, Espaço APIS, Rio de Janeiro, Brasil (2019). Participou dos festivais de arte sonora Tsonami, Valparaíso (2008, 2009, 2012 e 2016) e Monteaudio, Montevidéu, Uruguai (2016, 2018). Desde 2005 é curador de exposições, eventos e projetos de arte sonora, entre outras no Museu Nacional de Belas Artes, Santiago (2005) e Museu sem Muros, Santiago e Conceição (2010).

 

Raquel Stolf

Raquel Stolf (Indaial / SC, 1975) é artista, pesquisadora e professora nos cursos de graduação e pós-graduação em Artes Visuais da UDESC, em Florianópolis. Desenvolveu pesquisas de Mestrado (2002) e Doutorado (2011) em Artes Visuais na UFRGS, e Licenciatura em Artes Plásticas (1999) na UDESC. Vem editando publicações, como mar paradoxo (2016), troca de sabonetes (2013), assonâncias de silêncios [coleção] (2010), FORA [DO AR] (2004), e coordenando publicações coletivas, como anecoica (2014-2021) e sofá (2003-2011). Co-editou a revista Recibo 33 com ruído, com Traplev (2012), publicou Notações [sinais de pista] (Projeto A2, Par(e)ntesis, 2013), e vem participando de projetos e exposições, como Borealis Festival - RADIO SPACE (2020); com uma pedra atrás da orelha, (2020); LivrosLivres (2020); Pão e pedra, palavra-miragem (2019); Soma Rumor (2019); Lost and Found: Imagining new worlds (2019); RADIOPHRENIA (2019); Rio Engano – 14a Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba (2019); INSONORA 10 – Muestra Internacional de Arte Sonoro e Interactivo (2018); entre outros projetos. www.raquelstolf.com / http://soundcloud.com/raquelstolf / http://soundcloud.com/marparadoxo / https://anecoica.org 

 

Ricardo Basbaum

Ricardo Basbaum (São Paulo, 1961) é artista, pesquisador e professor. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Atua a partir da investigação da arte como dispositivo de relação e articulação entre experiência sensória, sociabilidade e linguagem. Participou de diversas exposições e eventos, no Brasil e no exterior, destacando-se o 35º Panorama da Arte Brasileira (MAM-SP, 2017) e a 20ª Bienal de Sydney (2016). Autor de Diagrams, 1994 – ongoing (Errant Bodies Press, 2016) e Manual do artista-etc (Azougue, 2013). Professor do Departamento de Arte da Universidade Federal Fluminense

 

Rui Chaves

Artista sonoro, intérprete e investigador português. Seu trabalho criativo põe em primeiro plano uma discussão sobre a presença, tanto física como do autor, no processo do fazer arte sonora. Este esforço se baseia em uma investigação crítica do tema do corpo, do lugar, do texto e da tecnologia. De 2015 a 2018, foi investigador de pós-doutorado na NuSom (Universidade de São Paulo) com um projeto de investigação que se centrou na criação de um "arquivo" online de arte sonora brasileira. Em 2019, coeditou com o professor Fernando Iazzetta o volume Making it Heard: A History of Brazilian Sound Art (Boomsbury). Atualmente, é professor internacional convidado na Universidade Federal da Paraíba.

 

Tato Taborda

Tato Taborda. Professor do Curso de Artes e da Pós-Graduação Estudos Contemporâneos das Artes na UFF, compositor, intérprete, professor e curador de eventos artísticos. Concluiu em 2004 o Doutourado em composição na Unirio com o projeto Biocontraponto, onde investigou a fronteira entre a comunicação de criaturas de hábitos noturnos, como sapos, grilos e vagalumes e as técnicas de polifonia e contraponto. Entre outras obras, compôs a ópera multimídia A Queda do Céu, uma encomenda da Bienal de Munique, com récitas em Munique, São Paulo, Roterdam e Viena. Compôs para mais de 40 espetáculos de teatro e dança, recebendo o Troféu Mambembe em 1996, o Prêmio Coca-Cola em 1998 e o Premio Klauss Vianna em 2007 e 2009. Tem obras gravadas pelos selos Col Legno, Fundación Arca-Ira e ABM-Digital e Lami. Lançou em 2008 o CD Tato Taborda e Geralda - Música para Orquestra, com obras escritas para o multi-instrumento Geralda, uma orquestra eletroacústica com mais de 70 fontes sonoras.

 

 

 

 

RESIDENTES 

 

 

 

 

Alfonso Santillán Vázquez

Alfonso Emanuel Santillán Vázquez has an undergraduate degree in Musical composition from the Faculty of Music-UNAM where he took classes with Manuel Rocha Iturbide, Gabriela Ortiz, Leonardo Coral and Julio Estrada among others. He has studies in physical engineering from UAM-Azcapotzalco and a diploma in musical research from CENIDIM-INBA. At the moment he is studying a master’s degree in Philosophy from Universidad Iberoamericana. As a musician he has participated in many generes and groups, mainly the Magisterial Folcloric Dance Company of Tulancingo, participating in the tours at Taiwan in 2018 and United Arab Emirates in 2019. He is a professor at the Regional Center of Education Studies- Pachuca, in the areas of Mathematics, Art education, Statistics and probability, and English. He is the founder and director of de Research Center for the Arts and Sciences, where complexity science, violence and music research is developed.

 

Amanda Jacometi

Amanda Jacometi é artista, educadora e pesquisadora. Acredita em um diálogo multidisciplinar como forma de expressão e, portanto, utiliza de diversas linguagens para compor seus trabalhos: voz, corpo, som, pintura, tecnologia e movimento. Atualmente é professora substituta de música do Colégio de Aplicação da UFRJ, mestranda em Música, Cultura e Sociedade pela UNESPAR e em Sonologia (Processos de Criação e Produção Sonora) pela USP.

 

Ana Emerich

Artista e pesquisadora, investiga diálogos entre som, imagem, lugar e perspectivas conceituais. Suas propostas articulam topologias da escuta, imersão temporal, gravação de campo, espaço, memória, escrita e imaginação politica no território da arte contemporânea. Atuou como regente à frente de orquestras e coros, e coordenou projetos musicais em instituições sinfônicas. Atualmente, participa de residências artísticas, desenvolve trabalhos comissionados e suas criações são apresentadas em contextos expositivos, editoriais e cênicos. Bacharel em Música/Regência (UNICAMP), mestre em Arte e Cultura Contemporânea (UERJ) e doutoranda no mesmo programa com a pesquisa Arquivos sonoros como volumes do tempo (Bolsa CAPES). Colabora como professora em cursos livres na EAV Parque Lage – Escola de Artes Visuais, e no curso de pós-graduação lato sensu em Artes da Cena da PUC Rio. Seu trabalho mais recente, MAPA, coloca sons e agrotóxicos em um terreno de montagens, articulações críticas e fabulações.

 

Anna Farré (Anna Karinvinge)

I was born in Barcelona and graduated in 2013 as a Fiction Director at ESCAC (School of Cinema and Audiovisuals of Catalonia). My final degree short film did fairly well being screened in more than 170 film festivals and winning 27 awards. After graduating I worked directing commercials (among some other brands for Nike and Timberland) and also teaching at different universities (IDEP, ESCAC, Elisava). In 2019 I decided to apply to the Royal College of Art to engage in the Digital Direction programme as I felt it was the right time for me to deepen my knowledge in new technologies and how they can be used for storytelling. My experience with the Master degree has not only provided me with new technical skills but also, and more importantly, with an enhanced critical thinking about the media and issues surrounding contemporary structures and society.

 

Arthur Wilson

Arthur Wilson is a creative technologist and artist from Ulster, Ireland currently operating in London. Sound and technology experimentation forms the foundation of his work, with a specialism in audio programming to create installations, standalone objects, instruments, performances and experiences.

 

Beatriz Galhardo

Beatriz Galhardo é dançarina, ensaísta e artista visual. Investiga tecituras manuais e podais feitas com e no mundo a partir de uma poética negra feminista. Sua pesquisa e produção atuais se desdobram entre os campos da estética, da dança e da performance tendo como foco as questões do gesto caminhante e suas práticas descoloniais. Compõe o corpo editorial da revista digital de arte e cultura Sala 400 e publicou o livro À escuta dos pés: caminhada e dança em “Notícias de América”, pela Zazie Edições. Está mestranda em Estudos contemporâneos das artes – UFF, é formada em Estética e Teoria do Teatro pela UNIRIO e em dança contemporânea pela Escola Técnica de dança Angel Vianna.

 

 

Bipasha Mukherjee

Bipasha Mukherjee is a 2d illustrator/animator from India. She's interested in watercolour as a medium, character studies and urban sketching. In her practice, she takes inspiration from her life and socio-cultural roots. She's currently studying animation at the Royal College of Art, trying to experiment with other mediums and techniques of film making, and trying to find her niche style as a film-maker and artist.

 

Bryan Ky San Yep Valencia

I discovered music when I was a child, studied flute for a few years and after high school I decided to pursue a music composition degree at UNM. I studied uunder the guidance of Nilo Velarde, Benjamin Bonilla, Jose Sosaya and Dante Valdéz, also studied the subject of music and technology with PhD Jose Ignacio López Ramírez-Gastón. I was part of the organization of Sinapsis 2nd and 3rd edition, which is an annual recital made by the composition students of UNM and held by the same institution. In the third edition I presented the electroacoustic work 'Deus Ex Machina' which you can find on SoundCloud. I am an active member of ELUNM (Ensamble de Laptops de la UNM) and I was part of UNO, the first discographic production of UNM consisting of electroacousctic music works by students of UNM. I'm currently working on a paper which focuses on the piece 'El filo errante' by Jose Ignacio López, which was also featured in UNO. My main interests are music and technology and orchestral music.

 

Caio Costa Campos

Licenciado em Música pela UFMG, técnico em informática pelo CEFET-MG e bacharelando em composição também pela UFMG, Caio busca atualmente um encontro das artes com a computação/programação. Integrante do grupo 'imaginários sonoros', desenvolve projetos de música mista desde 2018, incluindo uma iniciação científica, com o professor Sérgio Freire, sobre a tipo-morfologia do Pierre Schaeffer aplicada à criação e análise com/de sons percussivos. Tem experiência com as linguagens C++, JavaScript, SuperCollider, PureData, Max-MSP, bem como com Processing e openFrameworks, em um uso voltado à criação. Além disso, desenvolve projetos relacionados à improvisação e performance experimental, fazendo também parte do grupo de improvisação livre GILU, onde toca contrabaixo (acústico e elétrico) e desenvolve programas que dialogam com as improvisações, tanto visualmente quanto sonoramente. Também é integrante do duo 'não-igual', juntamente com Fefo, com enfoque em performances interativas.

 

Camila Proto

Camila Proto (Porto Alegre, 1996) é artista multimídia, mestra em Artes Visuais pela UFRGS e doutoranda em Filosofia pela PUC-Rio. Sua pesquisa percorre o universo intersemiótico, tensionando as relações entre arte, ciência e filosofia. Interessa o trânsito e as intersecções como metodologia de criação, colocando em cheque a ideia de tradução como motor inventivo de diferença. Dentre sua participação em exposições, destaca-se: o Circuito Universitário da Bienal Internacional de Curitiba (2017, Curitiba), o Prêmio de Arte Contemporânea da Aliança Francesa (2019 e 2020, Porto Alegre), o festival 10 Novas Frequências (2020, Rio de Janeiro), e a Exposição Internacional "ComCiência" (2019, Belo Horizonte). Foi indicada para o XIII Prêmio Açorianos de Artes Plásticas (2020, Porto Alegre), na categoria "Artista em Início de Carreira".

 

Camila Vermelho

Formada em Roteiro Cinematográfico pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro (IBAV-ECDR), além de ser graduada em História – Licenciatura e Bacharelado – e em Bacharelado em Artes Cênicas – Habilitação Direção Teatral – pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Ontem, tornei-me mestra em poéticas sonoras e visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFSM, na linha de pesquisa Arte e Tecnologia, pesquisando as relações entre arte, tecnologia, comunicação e ativismo. Também trabalho há 5 anos com rádio, seja através do programa de arte e cultura que produzo e apresento, o Baleiro das Artes, na rádio UniFM 107.9, seja com experimentações transmidiáticas que envolvem transmissões radiofônicas, espacialização sonora, teatro e performance. Hoje, vivo numa comunidade naturista, onde tenho experimentado a dimensão de dispositivos de escuta em meio ao ambiente o menos interferido pelo ser humano e como esta vivência pode reverberar criticamente sobre o Brasil de hoje.

 

Carlos Sebastián Chandía Chiappe

Actor titulado y candidato a Magister en Artes Mediales, ambos en la Universidad de Chile. Desempeñado además en áreas como la dramaturgia y dirección. Seleccionado dos veces como director de montaje para el ciclo de creadores del departamento de teatro de la U. de Chile, y Seleccionado nacional de la XVI Muestra de dramaturgia nacional. Se ha desempeñado como profesor en distintas esferas culturales y sociales, como población migrante y personas privadas de libertad. Seleccionado para la muestra del Festival MonteAudio 2020.

 

Carmo Pinheiro De Melo

I am a multidisciplinary artist. I work closely with different mediums, exploring their ‘manuality’, their texture, and combining them to create something new. This knowledge of multiple mediums gives me a unique perspective on how I approach my work and the projects I’m involved in.

 

Carola Zelaschi

Compositora, arregladora, productora y baterista nacida en la Ciudad de Buenos Aires en diciembre de 1991. Egresada de la Escuela de Música Contemporánea. Estudió batería, composición y arreglos orquestales. Funda y y forma parte de Blanco Teta banda de punk noise experimental. En 2019 compuso, produjo y arregló su primer disco solista llamado PANAL. Ese mismo año fue seleccionada junto a 10 artistas de todo el mundo para participar de una residencia musical dirigida por Chilly Gonzales junto a grandes artistas como Nils Frahm, Feist y Peaches. En el 2020 participó como arregladora orquestal y baterista en el marco de “Autoras Argentinas” del Centro Cultural Kirchner. Actualmente está ultimando un proyecto nuevo donde compone e improvisa con samples de artistas de todo el mundo recolectados en cuarentena. A su vez, con motivo de su asistencia a la residencia Art OMI, está empezando una nueva obra donde busca unir el ensamble orgánico con ruido y diseño sonoro. 

 

Edilson Jonatah Cardoso

Sou músico profissional há 8 anos. Meus instrumentos principais são o canto, guitarra, violão e cavaquinho. Gosto muito de experimentar também com o contrabaixo e instrumentos de percussão. Comecei a estudar música com 15 anos de idade, na Orquestra de Violões da Escola Estadual Governador Milton Campos. Trabalho/trabalhei com bandas que tocam vários gêneros musicais: Axé, Rock, Pagode, Sertanejo, Salsa, Jazz, Blocos de Carnaval, etc. Atualmente atuo como míusico freelancer, faço voz e violão em bares e toco com a Banda de Baile Expresso Hits. Além disso, dou aulas de violão e percepção musical. Graças ao professor Marco Scarassatti pude ter experiências práticas com a Arte Sonora.

 

Eduardo Politzer Couto

Eduardo Politzer é um artista que vive e trabalha no Rio de Janeiro, Brasil. Sua atuação tem como ponto de partida o som e suas relações poéticas e se desenvolvem em diferentes formatos e mídias, criando um campo sensível onde o artista estabelece conexões entre a realidade e o imaginário.

 

Elif Gülin Soğuksu

Elif Gülin Soğuksu was born in Istanbul, 1998. Having received scholarships, she continued her education at Istanbul Bilgi University Music Department and studying electronic, electroacoustic and acoustic music composition with Tolga Tüzün, studying music production with Michael Nielsen. She is composing music and sound designing for both digital and live theatre, films and working on music production. She is highly interested in working with interdisciplinary fields like performance arts, new media, digital and visual arts. She often performs in projects and uses her vocal, body, live-electronics and violoncello. She co-founded the international all womxn collective It’s Us: Ophelia and they created their debut project; a digital theatre experience; So, Count Mine. She is a member of Istanbul Bilgi University Laptop Orchestra (IBULOrk), computer-based ensemble with five musical instruments each consisting of a laptop computer and interfacing equipments.

 

Felippe Brandão

Felippe Brandão (ou Fefo) é artista e pesquisador nascido em Vitória/ES, residindo em Belo Horizonte/MG desde 2013. Explora possibilidades sonoras em trabalhos de composição, improvisação, computação, e gravações de campo, atuando principalmente na cena de música experimental de BH. Projeta a performance musical a partir de sistemas interativos, instrumentos digitais, partituras abertas, e jogos para improvisação, trabalhando na convergência entre música, tecnologia e outras artes. Pesquisa métodos de análise computacional da performance em música de câmara como bolsista de iniciação científica, e é graduando em Licenciatura em Música pela UFMG.

 

Felippe Mussel

Felippe Schultz Mussel (Petrópolis 1984), sonidista para cinema e projetos audiovisuais. É responsável pela captação de som, edição e desenho de som de mais de 30 filmes brasileiros nos últimos 15 anos. Um de seus trabalhos de destaque recente, o longa-metragem“A Febre”(2019), recebeu os prêmios de Melhor Som no Festival de Brasília, Melhor Som no Janela de Cinema do Recife e o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema do Rio de Janeiro. Formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro (2007), possui graduação em Produção Cultural (2010, UFF) e mestrado em Comunicação Social (2016, UFF), onde pesquisou a obra do cineasta Adirley Queirós. Dirigiu o longa-metragem “Em busca de um lugar comum” (2012), documentário que investiga os passeios turístico na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Atualmente, é professor do curso de cinema da PUC-Rio e aluno do curso de Arte Sonora da Escola de Artes Visuais do Parque Laje.

 

Fernanda Fábrega

Fernanda Fábrega (CL)Born in Antofagasta in 1987. Visual artist and cultural manager. Student of the Master in Media Arts at the Universidad de Chile. In charge of visual arts and residencies at the Goethe-Institut Chile. In her individual and collective work she develops research associated with performance, sound and installation. She is a member of the collectives Sonoras, Chusca, Barricada Sonora and KAUM. 

 

Fran Favero

Fran Favero é artista visual e curadora. É mestra e graduada em Artes Visuais pela UDESC, com intercâmbio para a UQAM, em Montreal. Como artista visual, dedica-se sobretudo a pesquisar as relações de fronteiras que permeiam territórios, corpos e memórias, atuando no campo dos multimeios. Entre as principais exposições que participou como artista estão a individual Ninguém consegue segurar o ar, 14a Bienal Internacional de Curitiba, MASC/SC, 2019 e a coletiva What’s going on in Brazil, Les Rencontres de la Photographie d’Arles, França, 2019. Atualmente é professora colaboradora do Departamento de Artes Visuais da UDESC, integrante da equipe do Projeto Armazém – exposições e feiras de múltiplos e publicações de artista e vice-diretora da ONG Observatório Nacional da Cultura (ONC).

 

Gabriela Nobre

Gabriela Nobre é artista sonora e poeta nascida no Rio de Janeiro. Desde 2016, atua na cena experimental com seu projeto b-Aluria. É doutoranda em Estudos Contemporâneos das Artes, na UFF, e mestra em Língua e Literaturas Francófonas pela mesma instituição. É curadora do selo independente Música Insólita, que se desdobra em um site de conteúdo sobre música experimental brasileira.

 

Gianni Bellini

Artista multidisciplinario e itinerante.

 

Guilherme Farkas

Graduado em Cinema e Audiovisual pela UFF, mestrando pelo PPGCine/UFF com pesquisa sobre som ambiente e field-recording entre cinema, antropologia e arte sonora. Trabalha com captação e pós-produção de som para projetos audiovisuais e instalativos e é sócio efetivo da Associação dos Profissionais de Pós Produção de Som (A3pS - Brasil). Como sound designer foi selecionado para Buenos Aires Talents/2018 (Argentina) e Berlinale Talents/2020 (Alemanha). Realizou som de filmes exibidos em festivais como Berlinale, Rotterdam, Locarno, Cannes, Visions Du Réel, Anthology Film Archives, San Sebastiàn entre outros. Por alguns de seus trabalhos recebeu prêmios de melhor som (Janela Internacional de Cinema do Recife), melhor direção de som (Bienal Internacional do Cinema Sonoro) e melhor concepção sonora (Primeiro Plano). Em 2015 foi curador da mostra Sonoridade Cinema (Caixa Cultural/RJ) sobre som no cinema contemporâneo. É professor de som na Academia Internacional de Cinema (AIC-RJ).

 

Guilherme Zanchetta

Guilherme Zanchetta é um artista multimídia e midiálogo em formação. No ano de 2021 teve seus trabalhos expostos nas exposições “ars e_on” e “homeostasis”, realizadas respectivamente pela galeria ÆON e homeostasis lab. Desenvolveu no ano de 2020 uma pesquisa sobre mídias sonoras e arte sonora sob a orientação do Prof. Dr. Paulo Cesar Teles e com apoio do CNPQ. No mesmo ano foi monitor e participou da residência artística de Andrea Cohen “Rádio como Arte – Arte como Rádio”, como parte das atividades do Programa “Hilda Hilst” do Artista Residente do Instituto de Estudos Avançados da Unicamp (IdEA) É membro do coletivo artístico “Grupo corpo generativo” ,com sua obra “Infracta” foi exposta no Ubiquotous Music Workshop 2020. Atuou como técnico de som e mixador para audiovisual tendo seus trabalhos O Pulo (2019, Ana Schilling),exposto no festival Kinoforum e Firma Ponto, Filho de Fé ( 2019, Giovanna Colussi) premiado no VI festival brasil de cinema internacional.

 

Gustavo Sales Rocha Santos

Natural de São Paulo - SP, Brasil, Gustavo Sales Rocha Santos é compositor formado em Música na modalidade de composição pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Participou de projetos relacionados à produção sonora e criação de trilhas musicais para audiovisual, teatro e dança, atuando também na área de desenho sonoro, gravação de som direto, música eletroacústica e áudio imersivo. Trabalhou como auxiliar de efeitos sonoros do filme ""Dora e Gabriel"" de Ugo Giorgetti. Participou de oficinas e master classes de composição musical, regência e arte radiofônica, dentre elas a oficina “Criação sonora colaborativa e interativa – Intercâmbio sonoro entre Brasil-Argentina-França”, ministrada por Andrea Cohen (France Culture | Radio France), como parte das atividades do Programa “Hilda Hilst” do Artista Residente do Instituto de Estudos Avançados da Unicamp (IdEA - 2020).

 

Josué Martínez

Josué Martínez (1995, Ciudad de México) artista digital y realizador multimedia. Actualmente se encuentra por concluir las licenciaturas en Arte y comunicación digitales en la Universidad Autónoma Metropolitana, Unidad Lerma así como Administración en la UNAM. Su obra está enfocada en la experimentación con distintas tecnologías, de esta manera su obra abarca distintos medios como: Arte digital, arte electrónico y arte sonoro. Es parte del Colectivo Tekne_{*}.debug(), con quien ha tenido participaciones en conciertos en distintos espacios como el MUCA campus (UNAM), el 50 aniversario de la revista Leonardo del MIT (UAM) y el primer Coloquio Internacional espacio e Inmersividad. Se ha desenvuelto como realizador multimedia, asistiendo, colaborando y produciendo obra de arte digital, electrónico y de nuevos edios para distintos artistas de renombre internacional. En dos ocaciones ha sido becario PRODEP: Hugo Solís García (2018) y Manuel Rocha Iturbide (2017).

 

Julia Rossetti

Julia Rossetti (Corrientes, Argentina, 1986) es artista, gestora y docente; Licenciada en Artes Visuales y Diseñadora Gráfica (Universidad Nacional del Nordeste, Argentina), actualmente culminando la carrera de Especialización en Arte Sonoro (Universidad Nacional de Tres de Febrero, Argentina). Fue becaria de los talleres del Fondo Nacional de las Artes (2013/2014), Proyecto Yungas (2014) y el Programa de Artistas de la Universidad Di Tella (2018). Participó en numerosas exposiciones individuales y colectivas; ferias y festivalesen Argentina, Paraguay y México. Tomó parte en residencias y encuentros nacionales e internacionales en varias provincias argentinas. Co-dirigió Limbo, proyecto de gestión independiente en Corrientes Capital (2012-2019). Desde 2018 forma parte del staff de la plataforma federal de artistas Intemperie y recientemente, del equipo de producción del Centro de Arte Sonoro (CASo). Desde 2018 vive y trabaja en la Ciudad Autónoma de Buenos Aires.

 

Julio Santa Cecília

Julio Santa Cecília é músico, produtor e artista audiovisual. Formado em produção musical, interessou-se em aprofundar seus estudos pela arte e sua dimensão sonora, o que o levou ao programa Arte Sonora, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. A partir de então, vem se dedicando a trabalhos audiovisuais que apresentam uma percepção atenta da visualidade e da sonoridade deste tempo em suspensão. Seu projeto de música experimental, Mondrongo, transita entre o drone e o glitch, que é construído com o uso de elementos e superfícies analógicas, como loops de fitas k7 e sons sintetizados, para acentuar a experiência e "induzir ao transe". É  influenciado por figuras-chaves da cena experimental e minimalista como La Monte Young, William Basinski, Cildo Meireles, Pauline de Oliveros, Tim Hecker, Oneohtrix Point Never, entre outros.

 

Leo Alves Vieira

Leo Alves Vieira é artista sonoro e compositor brasileiro, trabalha desde música escrita, até performances e instalações, passando por peças eletroacústicas, lançadas em selos de música experimental dentro e fora do Brasil. Já assinou trilhas para teatro e curtas, e também faz ativismo por direitos humanos. Formado em composição pela Escola de Música da UFRJ está terminando o mestrado no Programa de Estudos Contemporâneos das Artes (PPGCA-UFF). Já foi curador e produtor de festivais, além de ter sido professor de músicas em diversas escolas e atualmente, além dos estágios de docência dentro do programa, dando aulas particulares de composição, violão e harmonia.

 

Lina Marcela Colonia

Nací en Santiago de Cali-Colombia. Viví varios años en Bogotá donde realicé el pregrado de Estudios Literarios en la Pontificia Universidad Javeriana. Egresé de la Formación Profesional en Talla en madera en la Escuela de Artes y Artesanías Dr. Pedro Figari en Montevideo-Uruguay. Actualmente estudio la Licenciatura de Arte Digital y Electrónico en el Instituto Escuela Nacional de Bellas Artes en la misma ciudad.

 

Lucas Mattos

Lucas Mattos, formado em artes pela UFF, músico e pesquisador das áreas de voz e performance, videoarte e instalação sonora, começou cedo a tocar o clarinete de onde veio o interesse pelo campo da sonoridade, depois na faculdade veio o interesse pela performance, aprendendo a criar camadas de som que ele usa em seus trabalhos como principal área de experimentação.

 

Lucía Chamorro

Artista multidisciplinar de Montevideo, Uruguay, que trabaja principalmente en las áreas de la composición musical y del arte sonoro. Ha trabajado en proyectos de creación e investigación sobre paisaje sonoro, música electroacústica, música contemporánea, improvisación libre, creación sonora para audiovisual y videoarte.

 

Luciana Roberto

Luciana Roberto nació en Buenos Aires, Argentina. Es licenciada en Música y Tecnología de la Universidad Nacional de Quilmes. Se desempeña como artista sonora, sonidista, desarrolladora de software y luthier experimental. A lo largo de su recorrido académico formó parte de proyectos de investigación como “ElectropUNQ” (Argentina) y “INSIDE3” (Colombia) donde llevó a cabo desarrollos tecnológicos aplicados al arte. En 2018 ganó una beca de intercambio en la Universidad Pedagógica y Tecnológica de Colombia y ese mismo año ganó la beca de creación del Fondo Nacional de las Artes. Su principal enfoque artístico es la creación de instrumentos musicales experimentales a partir de objetos en desuso. Algunos de estos instrumentos formaron parte de ensambles de improvisación, acompañaron a artistas independientes y musicalizaron obras de teatro.

 

Marcello Magdaleno

Magdaleno (Rio de Janeiro, 1970) trabalha com performance, som, vídeo, fotografia e poesia. Artista pesquisador com formação em arquitetura e música, conclui em 2021 mestrado em Artes no PPGCA-UFF, com a pesquisa ""O Estudo dos Ambientes Imersivos e seus Objetos"". Lança em 2021 o CD ""Astronáutico"". Tem apresentado trabalhos sonoros no Festival MonteAudio 2020 (Uruguai) e Festival Tsomani 2020 (Chile), Festival Multiplicidade (Rio, 2017), na Poetry House (Nova York, 2016), na Fundação Saramago (Lisboa, 2014/16). Com o projeto Sobre o Mar, performance com som, imagens e textos, passou pela Casa da América Latina (Lisboa, 2019), FLIP (Paraty, 2015 e 2017), Centre D`Essai de Université de Montréal (Canadá, 2017), na Universidade de Georgetown (Washington, 2016).

 

Mariana Carvalho

Mariana Carvalho é performer, artista sonora, improvisadora e pianista, interessada no corpo, vozes, escuta, relação, intimidade, gênero, sons internos, nylon, piano preparado, eutonia, improvisação livre, instalação. Atualmente cursa o mestrado em Sound Studies and Sonic Arts na UdK Berlin. É parte da Sonora: músicas e feminismos. Fez bacharelado em piano na USP, onde fez parte do NuSom - Núcleo de Pesquisas em Sonologia da USP e da Orquestra Errante. Foi artista residente em Q-O2 (Be) e AADK Spain. Seu trabalho foi exibido no festival Dystopie - Berlin Sound Art, Sons de Silício (Br) e no festival Sur Aural (Bol). Apresentou-se em diferentes lugares no Brasil, América Latina e Europa, como o SESC Jazz, MAM-Rio, CASo (Arg), GIO Fest (UK), Centro Párraga (Esp), George Enescu Museum (Ro), CS Fest (Pt), Tsonami Festival (Chii), FLADEM (Ar, Br, Mex).

 

Marina Mapurunga

Artista e pesquisadora que atua no campo do audiovisual, da arte sonora e da música. Professora de som do curso de Cinema da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Doutoranda em Música pela USP, onde desenvolve sua pesquisa sobre práticas sonoras experimentais como estratégias de reativação da escuta em cursos de Cinema. Pesquisadora do NuSom-USP e do LinkLivre-UFRB. Integrante da rede feminista Sonora e da Orquestra Errante. Coordenadora do Laboratório de Pesquisa, Prática e Experimentação Sonora – SONatório, projeto de extensão da UFRB, e da OLapSo (Orquestra de Laptops SONatório). Últimos trabalhos: performance Estafa Mental n.1, na exposição Sons de Silício 2019; soundwalk Dystopian Path, no Dystopie sound art Festival 2020; (in)fleXus, no X Novas Frequências 2020; vídeo-arte Gabinete de Vozes, na residência Sampleologia em comemoração aos 85 anos da Discoteca Oneyda Alvarenga CCSP 2021; Ressonâncias, junto à rede Sonora no II Festival CHIII 2021.

 

Matheus Abel

Matheus Abel (Brasil, Sombrio/SC, 1993) é artista e pesquisador. Investiga processos de escrita, modos de leitura seus desdobramentos, articulando e friccionando texto e imagem. Exposições incluem a individual A noção de um todo construído em partes (2019), curadoria de Juliana Crispe, vinculada a 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba, Polo SC, e Com uma pedra atrás da orelha, (2020), coletiva de curadoria-proposição de Raquel Stolf, na Alfaiataria, Curitiba/PR. Participa regularmente de feiras de arte impressa. Integra as equipes do Projeto Armazém, onde realizou residência artística e desenvolveu trabalhos entre 2018-2019; Radiofonias, programa de extensão vinculado ao CEART e rádio UDESC; Anecoica, pensando a publicação homônima que investiga usos do texto e do som na arte; e o grupo Proposições artísticas contemporâneas e seus processos experimentais, UDESC/CNPq, coordenado por Raquel Stolf. Vive, pesquisa e trabalha em Florianópolis/SC.

 

Matías Serrano Acevedo

> Sound artist based in Santiago, Chile. In 2017 obtained the Bachelor’s degree in Arts, with mention in Sound, from the University of Chile. His work is mainly focused on listening and mediation through DIY technologies and analog electronics, and the generation of open educational activities for aural culture and medial autonomy. Has mainly worked with the Graphical Designer Bárbara Molina in Colectiva 22bits, designing listening and performing devices, installations and workshops. As a musician, has published two albums under the alias misaa, and co-manages the latin american netlabel for sound art and experimental music Archivo Veintidós. In 2020, took part of the listening research group Ruido Propio, and since 2021 is a student of the Master in Media Art of University of Chile.

 

Miguel Garutti

Nació en Buenos Aires en 1988. Se graduó en Artes en la Universidad de Buenos Aires, donde trabaja en su tesis de doctorado sobre la música electroacústica latinoamericana en los años setenta. Estudió piano, composición y tecnología en el Conservatorio Provincial de Pehuajó, en la Universidad Nacional de Quilmes y en la Universidad de São Paulo, Brasil. Fue agente del Centro de Investigaciones Artísticas (CIA) en 2016. En 2019, fue becario en la Escuela de Invierno del Festival de Nueva Ópera de Buenos Aires. Desde 2018, trabaja en la preservación de cintas de audio en el Laboratorio de Investigación y Producción Musical del Centro Cultural Recoleta y colabora en el Archivo de Música y Arte Sonoro Fernando von Reichenbach (UNQ). Co-programa el ciclo de conciertos Fantasía y Abstracción. Colabora con artistas de otras disciplinas en Buenos Aires, Valparaíso, Pitalito, Bogotá y São Paulo. En sus últimos trabajos explora las relaciones cronoestésicas entre diferentes especies.

 

Natália Francischini

Natália Francischini é musicista e artista visual. Transita entre ambas linguagens por meio do som e da performance. Como improvisadora musical, interessa-se pela preparação da guitarra elétrica e pesquisa possíveis relações entre seu corpo, a guitarra e objetos ordinários. No projeto Teratosphonia, vasculha poeticamente e sonoramente a temática da morte e da mortificação, tendo a memória do corpo como disparadora desse processo. Também trabalha com produção no meio musical subterrâneo, sendo uma das articuladoras do selo Música Insólita (MG/SP) e integrante do coletivo Frestas Telúricas (PE/RO/SP/RJ). Participou de festivais como IMPROFEST (2021), Novas Frequências (2020), SESC Jazz (2019), Festival CHIII de Música Criativa (2021; 2019) e Festival Internacional de Música Experimental (2016). Desde 2019 desenvolve pesquisa de mestrado em Processos de Criação Musical (Nusom - ECA/USP) e desde 2015 participa do grupo de estudos e práticas em livre improvisação musical Orquestra Errante.

 

Nirah

Nirah nasceu em São Paulo, mas mora em Florianópolis há 30 anos. Estuda canto e as possibilidades da voz desde 2009. Além de cantora e musicoterapeuta, é Doutoranda em Música pela Udesc e Mestra em Música pela Unirio. Gosta de explorar o universo sonoro, escutar o que acontece ao redor e brincar com os sons. Para além de ouvir o mundo, quer mostrar ao mundo o que ouve, descobrindo e explorando diferentes perspectivas da escuta.

 

Nubia Mobo

Nubia Mobo, é artista-etc. Atualmente bacharelanda em Estudos de Mídia e bacharel em Artes pela Universidade Federal Fluminense. Produz seus trabalhos através do interesse pelo que é o ser humano, o que os cerca, as materialidades dos resultados de suas ações, as subjetividades e tecnologias. Utiliza táticas de gambiarras e subversões, bem como linguagens das artes plásticas, sonoras e multimídia, suas investigações são pautadas pelo meio ambiente, pelas poéticas cotidianas e pelas relações de poder que englobam nossa sociedade.

 

Pablo Elinbaum

Pablo Elinbaum es arquitecto y doctor en urbanismo por la Universidad Politécnica de Cataluña en Barcelona. Actualmente, es investigador del CONICET con sede en el Centro de Estudios Urbanos y Regionales (CEUR), codirector de la línea Desarrollo Urbano, profesor del Taller de Urbanismo y de la asignatura Historia en la Escuela de Arquitectura de la Urbanística en la Universidad Torcuato Di Tella. Desde el marco de la Especialización en Arte Sonoro de la UNTREF intenta expandir su línea de investigación, enfocada en la producción del espacio urbano y los procesos de urbanización, a través del conocimiento de la auralidad de los lugares, mediante la revisión y discusión conceptual y teórica, y la reflexión desde la práctica de la escucha, combinando diferentes técnicas y herramientas propias de la fonografía y la cartografía.

 

Paula Elgarrista

Paula Elgarrista(MdP)artista sonora y Dj (Polett).Actualmente realizando la Tesis en Comunicación Audiovisual y la Especialización en Arte Sonoro (UNTREF).Su producción artística comienza en la escena underground en Mundo Dios.Integra un proyecto experimental llamado FLAVIA junto a Mariana Pellejero, seleccionado por el ciclo Escuchar en el MAMBA.Sus trabajos sonaron en Radio CASo (Drone Celebration y PAN). Colabora con artistas visuales y de danza contemporánea. En 2019 gana la Beca FNA, Espacios Analógicos, grupo que trabaja el diálogo entre el cuerpo, imagen y el sonido.Seleccionada como artista de la beca PLEAMA otorgada por el FNA, dirigida por Ernesto Romeo. 2017 participa de residencia artística en Alemania ( Vorwerk-Stif) desarrolla una video instalación que trata la relación de la fenomenología y el sonido.2019 presentó “Interferencias” en Silencio dispositivo sonoro.2021 realizó un recorrido sonoro en Museo Mar, donde trabajó sobre la reconstrucción sonora de Mar del Plata.

 

Pierre Engelhard

Pierre Engelhard is a Swiss/Peruvian visual artist and digital designer currently studying a masters in Digital Direction at the Royal College of Art. His multicultural background organically led to further travels, leading to Scotland, where he started his creative exploration. Pierre has collaborated with musicians. composers and sound artists with the aim to support their sonic pieces with visuals that react and respond to the sound as a way to express introspective ideas and atmospheric breaks from everyday life. Ultimately, Pierre is motivated by the re-imagination of common tales with the goal of alimenting joyful interactions through his work.

 

Priscila Costa Oliveira

Priscila Costa Oliveira (1990) é artista e pesquisadora. Coordena o podcast VER.SAR e integra o Coletivo Ka. Atualmente Doutoranda em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa (UDESC), onde integra o programa RADIOFONIAS e o grupo de Pesquisa Proposições artísticas contemporâneas e seus processos experimentais. Tem produção nas relações de voz e escuta junto a comunidades e o uso de mídias da oralidade. Pesquisa a conversa como prática artística.

 

Raisa Filgueira Soares Gomes

Arquiteta e Urbanista, graduada em 2014 pelo Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ). Especialista em Gestão e Prática em Obras de Conservação e Restauro do Patrimônio Cultural, Edição 2015, do Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada (CECI/UFPE) em Olinda, Pernambuco. Discente do Mestrado Acadêmico pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV UFPB/UFPE) na linha de pesquisa 02: processos históricos e teóricos em Artes Visuais. Graduação em andamento no Curso de Bacharelado em Artes Visuais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tenho experiência no campo das Artes Visuais e Arquitetura e Urbanismo, com ênfase na área do Patrimônio Cultural, realizando parcerias com demais profissionais e empresas atuantes nessa esfera.

 

Rayssa Melo

Graduada em Música pela UFPB, habilitação em violino, e bacharelanda em Viola de Arco, ex-aluna da Licenciatura em Artes Visuais, também pela UFPB. Professora, violinista e violista, participou da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, e desenvolveu pesquisa musical na área de Cultura Popular. É professora de violino no PRIMA, e atua como violinista em shows de música popular e gravações de artistas como Érica Maria, Baluarte, Meiofree, Contação da Rua, Nélio Torres, e outros. Participou em 2013 de atividades e pesquisas em cultura popular, como Cavalo Marinho e performances teatrais no Festival de Poesia Encenada do SESC. Ademais, desenvolve trabalhos nas artes cênicas, como violinista em performances e espetáculos de palco, como RepercuSONS, Amálgama e Iranti, da Cia Lunay, onde é integrante. Na seara da música erudita, integra o Quarteto Tabajara e integrou a primeira formação da Camerata Parahyba.

 

Renzo Garcés

Renzo Garcés es un compositor de música académica, Bachiller en composición musical por la Universidad Nacional de Música del Perú. Se inicia en la música académica con la especialidad de guitarra en el año 2013, estudiando tres años hasta cambiarse a la especialidad de composición musical. Ha recibido clases maestras de guitarra, piano y composición musical con profesores de diversas nacionalidades. Entre 2019 y 2020 formó parte del Ensamble de Laptops de la Universidad Nacional de Música – ELUNM, primer ensamble de laptops en Perú, con el cual realizó múltiples presentaciones y colaboró con diversas instituciones peruanas como PUCP, ENSBA, AIDEM, entre otras. En la actualidad estudia particularmente música electrónica y artes visuales y se encuentra próximo a iniciar una maestría en composición musical electroacústica.

 

Saúl Zenon Medina Valenzuela

Nasci em 30 de junho de 1992, em Lima - Peru. Em 2016, comecei minha carreira de composição musical sob os ensinamentos do maestro Dante Valdez Ortiz, completando-a com sucesso em 2020. Durante meus estudos na UNM tive a oportunidade de participar de várias atividades organizadas pelo Laboratório de Música Eletroacústica e Arte Sonora (LAMU) sob a direção do Dr. José Ignacio López Ramírez-Gastón, incluindo concertos, musicalização de obras silenciosas, exposições, etc. Em 2020, meu trabalho Fiestas de sangre, em sua versão estereofônica, foi incluído no álbum UNO, produzido pela UNM. Sou membro do Laptop Ensemble da Universidade Nacional de Música (ELUNM) desde sua criação até agora. Estou interessado em adquirir mais conhecimento no uso de novas tecnologias para a criação de obras eletroacústicas.

 

Shangyunwu

Shangyunwu, a sound and media researcher, designer and programmer based in Taiwan. She focus on deep time and sonic interaction design with media territory. Her design is an approach to human-centered sonic experience design for specific physical and digital spaces.

 

Tiago Brizolara

Ficção de música popular, computação científica, desenho de áudio, aplicações interativas. Tiago Brizolara vem da música brasileira (principalmente instrumental), toma a estrada para festivais nos anos 2000 e a partir de 2016 começa a criar também instrumentos musicais / visuais digitais a partir de movimento capturado, instalações interativas, trilhas para arte contemporânea, com parcerias que incluem o grupo R.I.S.C.O., Atelier Digital O Sítio e artistas como Flora Holderbaum e Juliana Hoffmann, entre outros. É doutorando em Computação e Movimento Humano na UBS (França), pesquisando aplicações computacionais interativas para performance de palco. É mestre em Física (UFSC-SC), especialista em Jogos Digitais (PUC-PR), foi aluno de Composição Musical (UEM-PR) e cursou disciplinas na Berklee School of Music Online. Também é consultor em software para a área médica. Seu projeto atual é um instrumento musical que recria e corporifica os sons atmosféricos - o Elemental.

 

Thiago Franzim

Atuo desde 2012 como guitarrista e compositor em diversos projetos musicais da cidade de Londrina, PR, como Aminoácido, Red Mess, Hellway Patrol e Guro. Formado no curso de licenciatura em música da UEL (Universidade estadual de Londrina). Em 2017 inaugurei o estúdio e selo "Tapete Voador Records", no qual realizei a produção de três discos da banda londrinense "Aminoácido". De 2016 a 2020 participei de diversas turnês nacionais e internacionais como: o projeto "Turnê Interplanetária" da banda Aminoácido; uma turnê europeia com a banda Hellway Patrol e como guitarrista do cantor country estadunidense Willie Heath Neal; e uma turnê com a banda Hellway Patrol nos Estados Unidos e México. Atualmente produzo um documentário sonoro para rádio a respeito da banda Aminoácido, patrocinado pelo PROMIC (Programa municipal de incentivo a cultura de Londrina).

 

Thigresa Almeida

Pessoa não binária, artista e pesquisadora da performance. Trabalha a partir da imagem das lâminas, objetos de proteção e cortantes (navalha e arame farpado). Já ministrou cursos e aulas sobre a linguagem da performance, além de ter coordenado residências artísticas no estado de São Paulo com artistas da performance. Tensiona na sua pesquisa questões sobre as genealogias, o gênero, a política, e as possibilidades impossíveis de existências.

 

Urutau Maria Pinto

Urutau, nascida em Tatuí, no interior de São Paulo, é pesquisadora, artista indisciplinar y Travesti. Atua principalmente no campo das Artes Sonoras y suas Tecnologias. É formada no curso de bacharelado em Cinema y Audiovisual y atualmente cursa a mesma graduação em Licenciatura, ambas pela Universidade Federal Fluminense na cidade de Niterói. Seus trabalhos investigam possibilidades de existências y transmutações dos corpos y imaginários por meio da Arte Sonora, Rádio Arte, Satélites, Anti-Cinema, Oráculos, Circo y Tecnologias de Gêneros Dissidentes.

 

Victor H Romero

Realizó sus estudios de música en el Instituto Cardenal Miranda y la Escuela Nacional de Música. con maestros como Xavier Gonzáles T. Luis Elías Chaín, Lucía Álvarez, de composición con. Julio Estrada y Germán Romero Pacheco y electroacústica con Antonio Fernández, Pablo Silva y Manuel Rocha Iturbìde. Primer lugar en multimedia del Trívium de Electroacústica de Bourges, donde realizó una residencia.Se ha presentado en salas de la Ciudad de México como:Carlos Chávez, Nezahualcoyotl, Miguel Covarrubias, Simón Bolívar,Sala Blas Galindo,Plaza de las Artes del CENART y el Palacio de Bellas Artes entre otros, y en festivales como: Radar de la ciudad de México, el 2º,3ºy4º Festival Internacional de Arte Sonoro del X-Teresa Arte actual ,Festival Internacional de Música Electroacústica de Bourges, el 2do Festival de los tiempos del Ruido, La Galería Sonora de la Universidad de North Texas, y El Foro Internacional de Música , Arte y Cultura Contemporánea de Roma, etc .

 

 

Sobre

O SomaRumor foi concebido por Giuliano Obici, Ricardo Basbaum e Tato Taborda junto com o Núcleo Multi-Experimental e o grupo SOMA (Som nas Artes)

Tanto MULTI como SOMA estão vinculados ao Departamento de Artes, Instituto de Artes e Comunicação Social e Programa de Pós-Graduação Estudos Contemporâneos das Artes da Universidade Federal Fluminense.   

O Núcleo Multi-Experimental se propõe a promover a prática de ações no campo da experimentação artística, a partir das linguagens contemporâneas, de modo a exercitar sua inter-relação e suas derivações teóricas e críticas. Seja no campo da sonoridade, da imagem, do movimento, do objeto ou da escrita, em suas múltiplas possibilidades técnicas e tecnológicas, performativas, expositivas ou instalativas, o Núcleo Multi-Experimental busca investigar as linhas de efetivação da ação artística experimental no Século XXI. Através de ações que se desdobram nas áreas de Pesquisa, Ensino e Extensão, o Núcleo Multi-Experimental procura trazer para a Universidade Federal Fluminense as ferramentas e territorialidades do experimentalismo, em seus aspectos transdisciplinares e multimídia.

O Núcleo Multi-Experimental, estabelece convênios e parcerias com outras universidades no Brasil e exterior, buscando a realização de eventos, assim como o intercâmbio de professores, pesquisadores e artistas, com atuação significativa no campo da arte contemporânea e experimentalismo. Do mesmo modo, as ações do núcleo buscam oferecer aos estudantes intercâmbios, a fim de complementar sua formação acadêmica.

Em linhas gerais, o Núcleo Multi-Experimental se propõe a atuar nas esferas da Pesquisa, Ensino e Extensão:

  • Pesquisa: procuraremos agrupar e articular projetos de pesquisa em andamento que abordem, de modo amplo, a experimentalidade na arte contemporânea.
  • Ensino: organizaremos cursos e atividades junto à graduação e pós-graduação, em torno das questões do experimentalismo na arte, com ênfase em oficinas de produção artística, teórica e crítica, assim como através de cursos regulares.
  • Extensão: buscaremos promover eventos de caráter público, em torno dos problemas e questões do experimentalismo em artes, através de apresentações, eventos artísticos, oficinas, seminários, cursos, conferências e publicações, voltados tanto à comunidade acadêmica como aos demais interessados junto ao público externo à universidade.

O Núcleo Multi-Experimental é coordenado pelos Professores Tato Taborda, Giuliano Obici e Ricardo Basbaum, vinculados ao GAT/IACS e PPGCA-UFF. Mais informações: www.artes.uff.br/multi

SOMA (SOM nas Artes)  é um grupo de pesquisa da Universidade Federal Fluminense de Niterói Rio de Janeiro que desenvolve atividades acadêmicas, científicas e artísticas no campo das sonoridades. Entre seus objetivos estão:  

  •  oferecer suporte à produção artística, pesquisa tecnológica e crítica;
  • desenvolver processos  coletivos de criação e apresentação artística coletivas;
  • promover atividades de práticas de pesquisa inter e transdisciplinares;
  • investigar e desenvolver técnicas e tecnologias entorno do sonoro;
  • propiciar ambiente dedicado à experimentação em diferentes interfaces do sonoro com as artes e suas tecnologias. 

Coordenado por Giuliano Obici o grupo está vinculado ao Núcleo Multi-Experimental, Pós Graduação Estudos Contemporâneo das Artes, Cursos de Artes, Cinema&Video e Produção Cultural do Instituto de Artes e Comunicação Social da UFF. Mais informações: www.artes.uff.br/soma